By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 63

 

O QUE É IMPORTANTE  PARA OS CABOS DE CAIXA ACÚSTICA?
3ª. Parte

 

Equipamentos e Cabos

  Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

           

 Introdução 

No Audiophile News 41, apresentamos a importância do material condutor empregado em um cabo de caixa acústica. Quem desejar receber este informativo eletrônico anterior, é só nos solicitar que prontamente o enviaremos. Naquela ocasião, havíamos mostrado as características físicas e sonoras dos três metais mais usados para a fabricação de um cabo de caixa: cobre, prata e ouro. Como regra geral, os cabos de cobre apresentam as melhores características sonoras e possuem a melhor relação custo/benefício. No Audiophile News 49, apresentamos a impedância de um cabo e sua relação com a indutância e a capacitância. Mostramos também um gráfico com exemplos da impedância de vários cabos em função da freqüência.

 

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           http://www.byknirsch.com.br

 

A Indutância e a Capacitância dos Cabos de Caixa 

 

Quando a corrente alternada passa pelos dois condutores que compõem um cabo de caixa, cria campos magnéticos nos quais se armazena energia. Como isto se dá? A corrente alternada vai e vem tantas vezes por segundo quanto a variação das freqüências das ondas senoidais do som que está sendo reproduzido a cada momento. Ou seja, o vai e vem, por segundo, da corrente está diretamente relacionado à variação da freqüência das ondas senoidais do som que está sendo emitido a cada segundo. É esta grande variação de freqüência da corrente alternada que gera campos magnéticos em torno dos fios condutores. À capacidade de criação destes campos magnéticos chamamos indutância.

A indutância é um fator que está relacionado com a dinâmica do cabo. Podemos dizer que é a resistência que o cabo oferece para a passagem das variações da corrente elétrica. A sua unidade física é o Henry e, para cabos de caixa acústica, é indicada em nH/m (nano Henry por metro). Como o Henry é uma unidade muito grande, usa-se o seu submúltiplo nano, que representa a bilionésima parte do Henry (10 elevado a -9). Os valores mais usuais, para as indutâncias de cabos de caixa acústica, variam entre 100nH/m e 600nH/m. Quanto mais baixa a indutância de um cabo, melhor ele tocará. Podemos verificar isto no gráfico da impedância do Audiophile News 49, onde o crescimento da impedância, a partir de 10KHz, será menor quanto mais baixa a indutância do cabo, ou seja, a curva da impedância será menos ascendente. Relembrando: A impedância de um cabo é a dificuldade que a corrente elétrica encontra para passar por ele. Portanto, quanto maior a impedância, maior a dificuldade de passagem da corrente. Como já vimos anteriormente, essa impedância é definida por uma relação entre a  indutância/metro e a capacitância/metro do cabo.

A indutância de um cabo depende da geometria entre seus condutores, positivo e negativo, que podem ser enrolados entre si, trançados de diversas formas ou justapostos. Depende também da seção transversal desses condutores(bitola dos fios). Quanto maior for a seção transversal menor será a indutância e melhor, em regra geral, a qualidade sonora.

A capacitância é outro parâmetro muito importante nos cabos de caixa acústica. Os cabos, com as suas isolações, também podem acumular cargas elétricas, fator que chamamos de capacitância. Capacitância é a resistência que o cabo oferece para a passagem das variações da tensão do sinal, atrasando a tensão do sinal que chega às caixas acústicas. É um fenômeno ocorre também nos capacitores, mas aí o efeito é desejado. Nos cabos, porém, desejamos que 100% da energia elétrica do sinal chegue até às caixas acústicas e, assim, a capacitância dos cabos é algo indesejável. Quanto menor for a capacitância, em regra geral, melhor será a qualidade sonora do cabo. A unidade da capacitância é o Farad. Como esta unidade também é muito grande, usa-se o pico Farad, que reduz o valor ao trilionésimo do Farad (10 elevado a -12). Os valores usuais para as capacitâncias, por metro, ficam na faixa de 50pF/m e podem chegar até algo em torno de 400pF/m. A geometria do cabo, a qualidade da isolação e o afastamento do cabo positivo em relação ao negativo influem muito no valor de capacitância que o cabo alcança e aqui alguns cuidados deverão ser tomados. A capacitância, quando muito alta, pode desestabilizar os amplificadores de potência, criando oscilações internas. Assim, em cabos muito compridos, nos quais as capacitâncias por metro se somam, devemos cuidar para esse valor não ficar muito alto, a fim de evitarmos a queima dos amplificadores.

Reduzindo-se a indutância e a capacitância, os cabos irão apresentar uma dinâmica maior com uma resolução aumentada. Evidentemente, o cabo precisa ter um bom equilíbrio tonal e também ser musical e orgânico.

Como exemplo, mencionamos nossos cabos de caixa, que possuem valores bem baixos em ambos os parâmetros, isso já nos cabos de entrada. Conseguimos atingir capacitâncias nulas nos modelos TOP Wonder Excellence e TOP Wonder Splendid, pelo fato dos condutores, positivo e negativo, se efetivarem através de dois cabos separados e independentes. Havendo um afastamento mínimo de 5cm entre os cabos positivo e negativo, para cada caixa acústica, a capacitância por metro cai a valores inexistentes. Já no Excellence, a indutância é muito baixa, pois a bitola é de 16mm2 por cabo positivo/negativo, separadamente. No Splendid, é de 64mm2! Não é de se admirar que a qualidade sonora destes cabos seja excepcional!

           Aquele abraço!! Ótimas audições a todos!! E até a próxima!

Cabos de Interconexão - TOP Wonder  RCA/Digital/XLR/Speaker Cables

  
 

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br