By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 78

 

O AJUSTE FINO PARA O POSICIONAMENTO DAS CAIXAS
1ª. Parte

ACÚSTICA

  Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

 

Introdução

O correto posicionamento das caixas acústicas frontais, em uma sala, na maioria das vezes não é realmente uma tarefa das mais fáceis. Quando começamos a analisar qual o melhor posicionamento para as caixas acústicas, na sala, o primeiro aspecto que precisamos observar é se o ambiente é ou não simétrico. Para decidirmos em que parede deveremos posicionar as caixas acústicas, (normalmente ao longo da largura), teremos que visualizar um plano vertical imaginário, passando por um ponto eqüidistante das colunas das caixas e passando também pelo ouvinte, de tal forma a dividir a sala ao meio, criando duas metades em volume livre. Se estas duas metades forem absolutamente iguais, obteremos o melhor resultado sonoro possível em relação à sala. 

Para as salas simétricas é relativamente simples fazermos a análise do posicionamento das caixas. Mas o ideal, tanto para estas como para as salas assimétricas, é levantarmos o gráfico de distribuição modal da sala. Ou seja, a partir das medidas da sala (comprimento, largura e altura), elaboramos o gráfico das ondas estacionárias axiais, tangenciais e oblíquas, por terço de oitava, o qual nos ajudará a calcular as possíveis posições para as caixas acústicas. Em seguida, estas posições deverão ser avaliadas auditivamente através dos nossos conhecimentos de percepção musical. Por exemplo, após posicionarmos as caixas em alguma das possíveis posições calculadas, iremos então analisar o equilíbrio tonal, depois verificaremos se os graves apresentam uma presença seca e articulada, coerente com os médios e agudos, verificaremos também o corpo harmônico, o timbre geral e todos os outros parâmetros de percepção musical. Através desta análise, para cada posição, é que encontraremos a melhor colocação definitiva para as colunas.

 

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           http://www.byknirsch.com.br

 

 

Para o Ajuste Fino, Inverta os Canais!

 

Em salas simétricas, então, existe um procedimento técnico relativamente simples e seqüenciado, que nos permite obter bons resultados, evidentemente, dependendo das medidas da sala e de sua classificação. (Existem quatro categorias de salas, mas este já é um outro assunto). Quando, porém, a sala apresenta assimetrias, a tarefa do posicionamento torna-se extremamente difícil. E quanto melhor forem as caixas acústicas, mais difícil ainda ficará este intento, pois o ajuste exigirá maior precisão. É lógico que, se não houver simetria em relação ao plano imaginário vertical que passa entre as caixas e o ouvinte, o posicionamento das colunas também não poderá ser simétrico, pois a sala não o é.  

Em salas assimétricas, a tarefa torna-se realmente muito trabalhosa, além de que o gráfico de distribuição modal  exige conhecimento técnico acurado para ser elaborado e nem todos têm esta facilidade. Nestes casos, nossa percepção musical torna-se de suma importância, pois somente com ela poderemos discernir se o posicionamento escolhido está mesmo correto ou não.

No entanto, quero apresentar a vocês uma forma mais simples de verificação, que também utilizo, que é muito reveladora e que pode ser utilizada tanto em salas simétricas quanto em salas assimétricas: é a inversão dos canais, o direito pelo esquerdo e vice-versa. Normalmente, esta inversão é feita antes do pré-amplificador. Se as caixas estiverem na posição ideal, o canal direito deverá tocar igual ao canal esquerdo e vice-versa. Se isto não acontecer, (e normalmente não acontece), o posicionamento de uma das caixas (ou o de ambas) poderá ser otimizado. Este teste é simples e, infelizmente, costuma nos proporcionar uma grande frustração! As duas caixas geralmente não tocam iguais e aqui começa o grande problema: como fazer o ajuste do posicionamento?! Conhecimentos de acústica poderão nos ajudar muito nesta fase.

O que quero apresentar para vocês, no próximo Audiophile News, é um cd que uso para fazer estes testes. Este cd apresenta grandes diferenças, na gravação das músicas, entre os canais direito e esquerdo. A identificação das diferenças sonoras entre um lado e outro, quando trocamos os canais, irá nos ajudar a obtermos pistas do que fazer, levando-nos a uma aproximação sucessiva do posicionamento ideal, à medida em que formos checando os vários parâmetros de percepção musical. Notem bem, estas diferenças que aparecerão, entre o canal direito e o esquerdo, não vêm das caixas acústicas e sim das reflexões, absorções e difusões assimétricas da sala!

 

           Aquele abraço!! Ótimas audições a todos!! E até a próxima!!

 

Convite para Audições

 

powerline Audiófilo, Special e Protect
  

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br