By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 109

 Equipamentos e Cabos

Flávio Adami
flavioadema@uol.com.br

        Homenagem aos Gênios
     

                    Gostaria de prestar aqui uma homenagem aos cinco grandes gênios do áudio, que influenciaram sobremaneira a vida daqueles audiófilos que, como eu, tiveram a oportunidade de conviver com equipamentos que fizeram a história do áudio high end. Esses engenheiros, que constam nesse artigo, foram também escolhidos pelo fato de que seus equipamentos, de certa forma, conviveram comigo. Desejo homenageá-los, sem desmerecer outros tantos que, sem dúvida, também fazem parte da lista dos grandes mestres, mas isto faria com que esta relação fosse muito mais extensa.

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
http://www.byknirsch.com

                     O primeiro que gostaria de destacar é Peter Walker, que se notabilizou pela criação de amplificadores, como o Quad II, com apenas 15 watts, em classe A. Apesar da baixa potência, esse amplificador tinha uma sonoridade que encantava a todos. Outro equipamento que se destacou foi o pré Quad 33 que, de 1967 a 1982, chegou a vender 120.000 unidades. Entretanto, o que considero mais genial de Peter Walker foi a criação dos painéis eletrostáticos. Primeiro surgiu o modelo ESL-57, que fez história, depois o modelo ESL-63, o qual até hoje faz parte dos sistemas de muitos audiófilos, principalmente por apresentar uma neutralidade sem igual na região dos médios. 
                      Outro gênio que dispensa maiores apresentações é Saul Marantz. Começou fabricando equipamentos na garagem de sua casa. Em 1952 lançou seu primeiro pré-amplificador, o modelo Consolette. Entretanto, equipamentos como o pré Model 7, os Power 8B estéreo e os Dual Mono 9B, com 70W RMS cada, foram os que deflagraram um verdadeiro estouro de vendas e ainda hoje são considerados aparelhos de sonoridade mágica. Eu tive a oportunidade de conviver com tudo isso, nos idos anos sessenta, e minha memória musical jamais poderá se esquecer da sonoridade desses equipamentos.
                       Outro gênio, que marcou época, sem dúvida foi David Hafler. Começou fundando uma empresa chamada Acrosound, em 1950, junto com o engenheiro Herbert Keroes. Fabricava transformadores para amplificadores valvulados e desenvolvia os estágios de saída ultra lineares. Entretanto, seu grande trunfo comercial foi a fundação da empresa Dynaco, que fabricava kits de áudio para hobbistas, com uma qualidade de áudio excepcional a um custo extremamente baixo. Um bom tempo depois, em 1977, surgiu a empresa David Hafler Company, com dois produtos que marcaram época, o Power DH-200 e o pré DH-101. Eu mesmo ainda utilizo este pré em meu sistema, como pré de phono, passando por cima de muita coisa atual, apesar de seus quase trinta anos de vida.
                        Outro impossível de faltar nessa lista é Edgard Vilchur que, junto com Henry Kloss, fundou as empresas Acoustic Research e KLH. Vilchur criou a suspensão acústica, lançada primeiramente através do modelo AR-1 e, no final da década de cinqüenta, relançada através do modelo AR-3, utilizando médios e tweeters de domo, também criados por ele. Outro grande sucesso de vendas foi o toca-discos AR, o primeiro a utilizar a parte mecânica, ou seja, prato e braço, com suspensão independente da base, praticamente anulando os problemas de realimentação em volume alto. Ainda me recordo dos graves da minha AR-3A, que casavam muito bem com os valvulados da época, com baixo amortecimento, criando um grave extenso e macio, dentro de um volume cúbico relativamente pequeno.

                        Para finalizar, o quinto elemento indispensável é James Bullough Lansing, um gênio em acústica e mecânica que, no início, chegou a freqüentar uma escola de mecânica para automóveis. Se verificarmos a construção dos alto falantes JBL, do ano de 1960, se parecem com os modelos mais modernos da atualidade e, já naquela época, utilizavam carcaças fundidas, poderosos magnéticos de alnico (alumínio-níquel-cobalto) e cornetas de médios e agudos com uma construção impecável. Foi o primeiro a utilizar bobinas de quatro polegadas em seus projetos e criou uma das empresas de maior sucesso, que se estende até os dias de hoje, graças ao modelo atual Everest, considerado o primeiro em qualidade sonora da lista da revista AUDIO alemã, com aquele mesmo aspecto visual lançado nos ano sessenta.                

Boas audições!!

                               

    

powerline Audiófilo, Special e Protect

                       

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br