By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 187

TODA CAIXA ACÚSTICA SOA BEM EM QUALQUER AMBIENTE?
4ª.Parte

Acústica

  Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

Introdução

              

               Começamos, com o Audiophile News 169, uma nova série de artigos, desta vez a respeito da melhor escolha de caixas acústicas para a nossa sala. Definimos os três parâmetros mais importantes que nos ajudarão a fazer uma boa escolha, sendo que, no segundo artigo, no Audiophile News 171, falamos a respeito do volume da sala e, no Audiophile News 184, abordamos a acústica da sala. Agora, iremos falar sobre o posicionamento das caixas acústicas frontais dentro da sala, que é o nosso último parâmetro. Quem desejar poderá receber a Bestenliste, da AUDIO alemã, fazendo uma assinatura digital no site: http://www.audio.de/abo/index.php?.

 

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           http://www.byknirsch.com.br

 

O Posicionamento das Caixas Acústicas

              Nós já publicamos uma série de artigos, bastante técnicos, que se iniciou com o Audiophile News 130 e continuou com os Audiophile News 133, 135, 139, 143, 146, 150, 154, 160 e 163 (ao todo foram 10 artigos), onde mostramos uma forma de posicionarmos as caixas acústicas, conforme a distribuição modal da sala, cujo diagrama é realizado a partir das medidas da sala: comprimento, largura e altura.
              A revista AUDIO, no entanto, nos apresenta um outro enfoque, diferente do que já vimos, que também nos dá uma idéia de onde as nossas caixas acústicas deverão ser posicionadas. Neste enfoque, a revista leva em conta as características da caixa acústica e o tamanho da nossa sala. Aqui também, como é correto, se pressupõe que as caixas acústicas frontais sejam colocadas ao longo de uma das larguras da sala. Assim, a AUDIO nos indica três posicionamentos possíveis, a saber:

D (Direkt an der Wand, Junto à Parede) = Junto, onde: D < 0,30m;
W (Wandnah, Próximo à Parede) = Próximo, onde: 0,30m < W < 0,90m;
F (Freistehend, Distante da Parede) = Distante, onde: F > 1,0m.

            O posicionamento D corresponde à colocação das caixas acústicas a menos de 30cm da parede traseira. Nesta posição, as caixas acústicas ficam junto à parede traseira para aumentar as baixas freqüências e, provavelmente também obteremos um melhor equilíbrio tonal, porém o grave não irá ficar muito nítido e, certamente, será mais lento e não será seco. As caixas recomendadas para este posicionamento D, caso fiquem um pouco mais afastadas da parede do que devem, apresentarão falta de grave e o equilíbrio tonal não estará correto. Na posição W, as caixas acústicas já ficam mais afastadas da parede traseira, entre 30 e 90cm de distância. Normalmente, neste posicionamento, o grave já fica melhor e mais coerente. No posicionamento F, as caixas ficam afastadas a mais de um metro da parede traseira e, normalmente, é onde o grave fica melhor, mais seco e mais nítido.Akustik-Assistent
           Encontrar uma caixa acústica que toque bem nas três posições é algo bastante raro!! Para que isto aconteça, a caixa precisará conter uma regulagem própria que permita esta flexibilidade.

          Existem caixas acústicas que só tocam bem quando estiverem junto à parede, talvez bem próximas a ela. E não tocarão com qualidade se ficarem um pouco mais distantes. Outras, no entanto, tocarão bem se ficarem próximas à parede traseira, mas não tão junto dela. Porque, se ficarem bem perto da parede, irão apresentar um grave muito retumbante.

            Levando-se em conta o volume da sala (matéria que já discutimos no Audiophile News 171), esta questão poderá se tornar um enorme desafio para alguém que busque o melhor posicionamento para uma caixa acústica, do tipo daquelas que devem ficar mais distantes da parede traseira, dentro de uma sala pequena. Ou seja, como a sala é pequena, distanciando a caixa da parede, o ouvinte ficará próximo à parede que fica atrás dele, o que ocasionará um reforço dos graves bastante problemático. Assim, caixas previstas para um posicionamento distante da parede não devem ser usadas em salas pequenas. Quanto maior a sala de audição, melhor será a reprodução sonora, sendo que o grave ficará mais coerente e definido.
             A maioria das caixas acústicas, arroladas na classe de referência da AUDIO, deve ficar distante da parede traseira. De forma que, a maioria destas caixas solicita salas médias ou grandes. No entanto, há algumas caixas acústicas, desta mesma classe de referência, que podem ficar em qualquer uma das três posições (junto à parede traseira, ou próximas, ou distantes dela), porém estas caixas são ativas e permitem uma regulagem para que isto seja possível. A única exceção é a caixa Revel Ultima Studio 2 que, segundo a AUDIO, pode tocar bem nas três posições, porque possui um ajuste passivo do grave e do agudo, sendo, portanto, a caixa mais flexível de todas.
             Em regra geral, quanto maior o volume da sala, mais fácil a escolha das caixas acústicas e melhor será a qualidade sonora obtida.
            Abaixo, damos a relação das caixas acústicas que a redação da AUDIO (01/14) usa para realizar comparações auditivas em cada classe:

            

Classe de Referência

Modelo Classific. Assistente Acústico AK QS
JBL Everest DD 66000 1°. GAHWF 35 108
Revel Ultima Studio 2 17°. KMGTADWF 61 103
KEF Reference 207/2 18°. MGTAHWF 52 103
 

              Reparem que a caixa da Revel só não toca em salas reverberantes! No Assistente Acústico o H não está incluído. AK é o índice de compatibilidade entre caixas e amplificadores. Vocês encontrarão um descritivo a respeito disto no artigo: O Áudio e o Pinheiro - 3º Parte. QS é a pontuação dada para a qualidade sonora. O a significa que a caixa é ativa, porém neste artigo não tem nenhuma mencionada.

Classe High End

Modelo Classific. Assistente Acústico AK QS
Martin Logan Spire 3°. GAHF 65 100
KEF Reference 205/2 9°. MGTAHWF 58 99
Sonics Allegra II 29°. KMGTAWF 57 97
ME Geithain ME150 38°. KMGTAWF 59 96
KEF XQ 40 77°. KMGTAHF 53 93

           Na classe de ponta e na classe superior a revista não indica caixas acústicas para comparações auditivas.

           Vejam como a escolha correta de um par de caixas acústicas para a nossa sala envolve vários aspectos como: o volume, a acústica e o posicionamento delas na sala. Estudar corretamente a sala que temos e as diversas opções de caixas acústicas do mercado para esta nossa sala poderá evitar muitos aborrecimentos futuros devidos a uma eventual escolha equivocada!        
           Um grande abraço a todos! E boas audições, com a caixa correta na sala!

Cabos de Interconexão - TOP Wonder  RCA/Digital/XLR/Speaker Cables
                  

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br