By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 383

Nosso Primeiro Sistema
 

Equipamentos e Cabos

Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

           Introdução

          Após os resultados positivos, obtidos com a colocação das bandejas e dos spikes, sob as caixas acústicas Revel Performa3 F206, no segundo sistema, começamos a estudar o que fazer no sistema principal. Vejam artigo: Audiophile News 381. As nossas caixas acústicas, no laboratório, são as Revel Performa F52. Como estas caixas necessitam de um longo amaciamento (alguns anos!), colocamos os spikes nas caixas, apoiados em cima de chapas de alumínio, para facilitar a movimentação delas na sala, face ao longo amaciamento. Agora, com a definição da posição definitiva estabelecida, pudemos completar o tratamento acústico, seguindo a série de dez artigos publicados, começando pelo Audiophile News 130. O valor de DPF ficou em uma certa medida, para atenuar uma estacionária em torno de 74Hz, e a medida DPL ficou de forma a atenuar outra estacionária, em torno de 112Hz.

            

 © 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           http://www.byknirsch.com.br

Novas Experiências

          Já havíamos publicado uma série, contendo sete artigos, a respeito de sistemas antivibracionais, começando com o Audiophile News 13, cuja leitura recomendamos. Após analisarmos a melhoria do grave, no segundo sistema, elaboramos uma tese técnica que explicasse este fenômeno. Como o chão vibra, para mais ou para menos, em qualquer lugar da sala, estas vibrações, transmitidas para os aparelhos e, em especial, para as caixas acústicas, afetam o curso das bobinas (por maior atrito) nos gaps dos alto-falantes. Esta redução do curso das bobinas, pelo atrito, faz com que os woofers percam uma oitava, para as freqüências baixas, e também com que os alto-falantes médios e agudos percam o relaxamento das notas, ou seja, a ambiência fica reduzida. Assim, a diminuição da interferência destas vibrações do solo, nas caixas acústicas, melhora o grave, que ganha extensão nas baixas freqüências e aumenta a ambiência nos  alto-falantes médios e agudos. Baseados nestas evidências, e levando em conta o peso das caixas, fizemos o projeto para as nossas caixas.
          Verificamos, no mercado, que muitos fabricantes estão colocando os spikes para além da base das caixas e, com isto, conseguem, fisicamente, absorver melhor as vibrações do chão. Trocando idéias com nosso grande amigo Alberto Vilardo, que conhece muito bem estas caixas, ele nos confirmou que seria uma excelente idéia fazer a base desta forma. E assim fizemos! Com duas barras de aço, por caixa acústica, uma para os spikes dianteiros e outra para os spikes traseiros, com  largura de 40mm e espessura de 10mm, jogamos os spikes para além das caixas, em torno de 5cm de cada lado, como mostra a foto abaixo da caixa inteira. Prendemos as barras com parafusos, nos furos da base da caixa, com as roscas originais dos spikes próprios da caixa (roscas máquina de 1/4"). Entre as barras e o fundo da caixa colocamos arruelas de borracha, nos parafusos, com dureza shore de 45, espessura de 5mm e diâmetro de 38mm, para melhorar a absorção. Regulamos a altura dos spikes para ficar no mínimo, para não perdermos o equilíbrio tonal, como aconteceu inicialmente nas Revel F206. Os spikes ficaram apoiados sobre uma pedra de granito de espessura de 25mm.
          E o resultado sonoro foi maravilhoso! O grave ficou mais nítido, com maior extensão, e a ambiência, tanto no médio como no agudo, também aumentou bem.

          Agradeceremos a quem puder relatar experiências semelhantes em caixas acústicas. Estamos pretendendo, agora, fazer a mesma mudança no nosso segundo sistema, nas F206, porém estamos prevendo que, com uma das nossas bandejas médias, somente o granito não irá funcionar tão bem, pois estas caixas são mais leves e precisam de um amortecimento maior. Quem desejar nos visitar, é só agendar conosco. Vejam como efetuar o agendamento no Fale Conosco.         

          Ótimas audições a todos! Aquele abraço! E até a próxima!


Revel Performa F52

 

  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br