By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 

 
Número 30
 

Equipamentos e Cabos                           

 Flávio Adami

Recordar é Viver


            Como vocês devem ter notado, sou um daqueles audiófilos saudosistas dos bons tempos, que eu chamaria de era romântica do áudio. Tempos em que reinavam praticamente os equipamentos valvulados, considerando que o transistor ainda estava em processo de evolução e, na época, tinha uma sonoridade muito ruim. Tempos em que os toca discos, os braços e os gravadores de rolo davam um show de engenharia mecânica, mas de informação digital, naquela época, só mesmo as impressões feitas com o nosso dedo polegar.
            Estava eu revendo algumas publicações antigas, folhando uma revista HIGH FIDELITY MAGAZINE, do ano de 1960, ou seja, lendo artigos de mais de cinqüenta anos, e algumas coisas chamaram a minha atenção com relação aos equipamentos daquele tempo. Muitas marcas consideradas famosas já deixaram de existir, como exemplo a Scott, que tive a oportunidade de escutar, na casa de um amigo, nos idos anos 60, através do modelo 222 integrado, que tinha uma sonoridade espetacular. Outra marca, a Pilot, que poucos ouviram falar, fundada em 1919, também de excelente sonoridade, sucumbiu nos anos 70, obviamente com toda linha valvulada. A não menos famosa Altec Lansing Corporation, que naquela época também fabricava amplificadores excelentes, nos faz recordar apenas suas famosas caixas de corneta, que alguns saudosistas cultuam até os dias de hoje. Uma das coisas que mais me chamou a atenção, relembrando o passado, foram sem dúvida os produtos da JBL, que no ano de 1960, fabricava alto-falantes com uma qualidade e design que mais parece os falantes atuais, já naquela época montados em carcaça fundida, incluindo os drivers e as cornetas, com um acabamento e sonoridade espetaculares. James B. Lansing, além de ter sido um apaixonado por áudio, era também um gênio em mecânica, e nos deixou como legado a marca JBL, cultuada no mundo inteiro, incluindo o modelo Everest, que hoje está no topo das caixas acústicas de referência das principais publicações especializadas em áudio. Quem do meu tempo não se recorda das caixas Paragon, Hartsfield e outros modelos que passaram para a historia do áudio?
 

Caixas Acústicas JBL Paragon

             Também me recordo dos gravadores domésticos da Ampex, cuja marca, talvez a principal dos estúdios de gravação da época, junto com a não menos famosa marca Revox, deixaram até hoje gravações analógicas inesquecíveis. A linha profissional da Revox era assinada pelo seu mentor Willi Studer. Que saudades do meu Revox A77! Outra marca importante da época foi, sem dúvida, a Jensen, que também fabricava alto-falantes, com uma linha  espetacular de woofers, médios e cornetas que também ficaram para a historia. Jamais poderia me esquecer da Fisher, que fabricava prés e powers e amplificadores integrados valvulados notáveis. Tive a oportunidade de ter um modelo X-101A integrado, que tinha uma sonoridade inacreditável para a época.

© 2004-2014 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
http://www.byknirsch.com.br

 

          Na minha opinião, as marcas que realmente ficaram para a história e estão por aí até os dias de hoje, são, sem dúvida, a Thorens, a McIntosh, Marantz, Tannoy, Klipsch, Wharfedale e outras. Jamais sairá da minha lembrança a Acoustic Research, que também marcou sua época com as famosas Ar3 e Ar3A, as primeiras a utilizarem o sistema de suspensão acústica e que tinham, e talvez tenham até hoje, um dos graves mais perfeitos que tive a oportunidade de escutar. Outro grande gênio da época foi, com certeza, Peter Walker, da Quad, que criou os famosos painéis eletrostáticos, com aquela qualidade de médios que também vão ficar para a história.
             A grande maioria destes produtos, nos dias de hoje, foi absorvida por empresas chinesas. Mas pelo menos deixaram seu legado de fama, numa época em que o áudio era simplesmente romântico, principalmente quando os equipamentos eram tocados nas grandes salas, nos tempos das grandes mansões, tempos das grandes bandas de jazz e das vozes inesquecíveis como Frank Sinatra e Ella Fitzgerald.

Boas audições!


              http://www.byknirsch.com.br/produtos-cabos-connect-indice.shtml

                    

http://www.byknirsch.com.br/produtos-antiresson-bandstand.shtml

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br