By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 

 
Número 46
 

Equipamentos e Cabos

Flávio Adami
flavioadema@uol.com.br

Diferentes Conceitos

                    Vamos falar um pouco a respeito dos quatro principais projetos de caixas acústicas que nos acompanham, desde os tempos em que os projetistas malucos se aventuraram a desenvolvê-los para que nós, audiófilos, pudéssemos curtir o áudio em toda sua plenitude.
                 Estamos nos referindo àqueles projetos de caixas acústicas mais comumente usados e também mais populares: bass reflex, suspensão acústica, radiador passivo e linha de transmissão. Antes de analisarmos cada um destes quatro tipos, é importante ressaltarmos que as caixas acústicas têm a função básica de isolar as emissões sonoras emitidas pela parte frontal dos alto falantes, daquelas advindas da parte traseira destes mesmos alto falantes, evitando dessa forma o cancelamento do som, principalmente o das baixas freqüências, para podermos ouví-lo em toda a sua integridade e qualidade.

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
http://www.byknirsch.com.br

                 O conceito que mais se popularizou, a partir de meados dos anos oitenta, foi sem dúvida o sistema bass reflex, pela eficiência e extensão dos graves que proporciona. Atualmente, é usado em praticamente todos os projetos de caixas acústicas que existem no mercado. Se caracteriza pela utilização de um duto ou pórtico, que nada mais é do que um tubo de diâmetro e comprimento projetado para ressonar em uma certa freqüência desejada, de acordo com o alto falante utilizado, aumentando a eficiência e extensão dos graves. Esse conceito, quando bem projetado, pode atingir facilmente uma resposta em torno dos 30Hz, sem a necessidade de grandes volumes cúbicos.                  

As caixas tipo suspensão acústica são caracterizadas pelo completo isolamento da massa de ar traseira do alto falante em relação ao deslocamento de ar frontal. Como o ar dentro da caixa é comprimido e expandido, conforme a movimentação do cone, a pressão interna tem o efeito similar a um amortecedor, empurrando o cone quando ele entra e puxando quando ele sai. É uma caixa relativamente fácil de ser projetada, sendo sua única variável o volume cúbico em relação à freqüência de ressonância do woofer utilizado. É um projeto que proporciona graves precisos, rápidos e definidos, porém dificilmente alcançam extensões profundas, pelo próprio conceito, onde a pressão do ar atua como um limitador das baixas freqüências. A eficiência deste tipo de caixa acústica também é menor, exigindo amplificadores de maior potência e boa corrente.


               O sistema tipo linha de transmissão não passa de um labirinto de ondas sonoras, no qual o formato das mesmas altera a fase proveniente da saída de som, emitida pela parte posterior do alto falante, em aproximadamente 90 graus, atenuando desta forma a ressonância, por causar grande pressão interna em sentido inverso à vibração da mesma. Os gabinetes são bem maiores, em comparação aos de bass reflex e de suspensão acústica de características similares, pois possuem um quarto do comprimento de onda de cancelamento da ressonância. É um projeto que necessita de gabinetes maiores, porém leva a extensão dos graves a níveis baixíssimos. Este conceito foi de certa forma criticado, principalmente quando utilizado com toca discos de vinil, pelo fato de que o alto falante, não encontrando a resistência do ar, ficava totalmente descontrolado, devido às vibrações naturais geradas pelo próprio vinil. Com o advento do cd, este conceito novamente foi utilizado por vários projetistas, mostrando suas virtudes.

                  O último conceito a ser descrito é o tipo radiador passivo. Este sistema trabalha aparentemente com dois alto falantes para os graves. Um normal, ativo, e o outro passivo. Este último é simplesmente um alto falante apenas com a centragem e o cone, sintonizado numa freqüência ideal com relação ao woofer ativo. Atualmente, poucos projetistas utilizam esse conceito, porém, quando bem projetado, atinge graves de baixa freqüência e qualidade, sem a necessidade de grandes volumes cúbicos. Entretanto, alguns não são muito a favor, devido ao fato de que, em grandes volumes sonoros, os graves saem um pouco do controle.

                   Boas audições !!!

          

http://www.byknirsch.com.br/produtos-antiresson-bandstand.shtml


   

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br