By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 122

A ZONA DE NEUTRALIDADE - 2ª. Parte

Acústica

  Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

             No GUIDE TO AUDIO SYSTEM SETUP AND EVALUATION, publicado pelos articulistas da revista the absolute sound, saiu um texto muito interessante intitulado A ZONA DE NEUTRALIDADE. Este artigo foi escrito por Dave Wilson, proprietário da famosa marca Wilson Audio, empresa fabricante de caixas acústicas de renome. No Audiophile News 118, publicamos a primeira parte desta matéria.

© 2010-2020 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           https://www.byknirsch.com.br

 

Como havíamos explicado, dois retângulos deverão ser demarcados no chão da sala, sendo que a melhor posição das caixas acústicas frontais, para a sala em análise, irá estar localizada dentro destes retângulos. No artigo 118, vimos as premissas necessárias para que o procedimento seja aplicável à sala. Vimos também como definir com fita crepe, no chão, a demarcação de dois lados de um dos dois retângulos.
          Dave Wilson, descreveu ao todo seis passos para a determinação destes retângulos. Os quatro primeiros já foram apresentados e os dois últimos são os seguintes:

 

5. Agora, a pessoa, que está em pé, ficará com as costas encostadas na parede lateral, na altura onde se pretende posicionar a caixa acústica correspondente ao retângulo que está sendo demarcado. Esta pessoa deverá ficar falando continuamente, num volume moderadamente alto e constante. Face à proximidade da parede, a sua voz se tornará mais grave do que costuma ser. O companheiro, com ouvido acurado, ficará sentado na posição do ouvinte, ouvindo a voz do colega. A pessoa em pé começará a se afastar vagarosamente da parede lateral, andando bem lentamente, sempre em frente, em linha reta e paralela à parede que fica atrás das caixas acústicas. O ouvinte, atento, deverá colocar a fita crepe no chão onde perceber a ocorrência da transição da voz, de mais grave para uma voz mais natural. A seguir, a pessoa em pé, deverá continuar a se deslocar, vagarosamente, continuando seu caminho em direção à parede lateral oposta. E quando o ouvinte perceber a ocorrência de uma interação da voz com esta parede oposta, deverá marcar novamente o chão com a fita crepe.

6. Com as quatro fitas crepe coladas no chão, agora será possível traçar o retângulo. A área do retângulo será a zona de neutralidade para a caixa acústica frontal em questão. Em seguida, os procedimentos de 1 a 6 deverão ser repetidos para a demarcação do retângulo para a outra caixa acústica. Finalmente, as duas zonas de neutralidade estarão definidas.

Notem que os dois retângulos demarcados poderão não ser simétricos, em relação ao ambiente, porém as caixas acústicas, que serão colocadas nestes retângulos, deverão assumir uma posição simétrica na sala, em relação a um plano vertical imaginário que passa pelo ouvinte e entre as caixas. Isto quer dizer que as medidas das distâncias das bocas dos woofers à parede, que fica atrás das caixas, deverão ser iguais entre si. Do mesmo modo, em relação ao plano vertical imaginário que passa pelo centro dos alto falantes das caixas acústicas, as distâncias do centro destes alto falantes às respectivas paredes laterais também deverão ser iguais entre si.

Finalmente, o ajuste fino para o posicionamento das caixas acústicas, dentro da área dos retângulos, deverá ser alcançado, experimentalmente, pelo ouvinte.

Ao longo dos anos, nós desenvolvemos um outro método, mais técnico, que se baseia na distribuição modal da sala e verificamos que o nosso posicionamento de caixas sempre se encontra dentro destes retângulos definidos pelo Dave Wilson. Porém pelas inúmeras experiências que já realizamos, nós atingimos uma resolução e palco sonoro maior.

 

        Aquele abraço!! Desejamos a todos ótimas experiências!! E até breve!

powerline Audiófilo, Special e Protect
  

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br