By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 

 


Número 134

 Música e Mídia Gravada

Flávio Adami
flavioadema@uol.com.br

        Um Momento Mágico.
     

                    Quando a bossa nova teve seu início, no final dos anos cinqüenta, o estrondoso sucesso de Chega de Saudade, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, interpretado pelo criativo e genial João Gilberto, mudou toda uma geração de jovens que buscava uma sonoridade e um ritmo diferenciados.

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
http://www.byknirsch.com

                    Inclusive eu, nos anos sessenta, comecei meus estudos de violão pautado nessa nova tendência musical.
                    Naqueles dias, muito se discutia se havia ou não influência do jazz na bossa nova. De certa forma, eu concordo com a grande maioria dos críticos musicais da época, que diziam que não havia influência do jazz, propriamente dito, pois João Gilberto criou uma batida diferente, baseada no ritmo do nosso samba bem brasileiro. Entretanto, é opinião de muitos, inclusive minha, que houve sim uma influência da harmonia do jazz nos sofisticados acordes que utilizamos, tanto no violão como no piano. Haja vista que vários conjuntos, como, Zimbo Trio, Tamba Trio e Bossa Três, por exemplo, executavam o ritmo do samba bem brasileiro, calcado numa base harmônica, bastante inspirada em gênios como Oscar Peterson, Bill Evans, Dave Brubeck e outros.
                    Eu possuo um dvd intitulado Coisa Mais Linda, que mostra um painel histórico, musical e informativo sobre o nascimento da bossa nova nos anos cinqüenta. Este movimento musical atingiu o seu ápice em 1962, quando se internacionalizou definitivamente em um concerto no Carnegie Hall (Nova York)
                    Neste filme, um detalhe chamou minha atenção. Roberto Menescal, um dos fundadores da bossa nova, falou a respeito de um LP da atriz e maravilhosa cantora Julie London, que foi gravado em 1955. E, em seguida, mostrou os acordes da introdução, feitos por Barney Kessel que, com Julie e sua guitarra, formaram a primeira gravação de Cry Me a River. Esta introdução foi composta com exclusividade para ela, no primeiro registro musical desta maravilhosa canção. Menescal afirmou que várias seqüências de acordes, utilizadas por Barney, também foram aplicadas em muitas composições feitas por ele e seus famosos parceiros, entre os quais, Ronaldo Bôscoli.
                    Realmente Barney Kessel e também Laurindo Almeida influenciaram muito a minha forma de tocar violão, fundindo o ritmo maravilhoso da bossa nova com os sofisticados acordes jazzisticos.
                    Eu tive a oportunidade de encontrar este LP na loja Audio Classic, um original de 1955, mono, num estado razoável, levando em consideração seus quase sessenta anos de existência.

                Quem tiver a oportunidade de conseguir este LP, ou o cd, poderá se deliciar com um dos maiores guitarristas de todos os tempos, junto à maravilhosa voz de Julie London. O disco cria um momento mágico de audição que vale a pena para qualquer apaixonado pelos standards do Jazz.

               
            
                                    Bandejas Antirressonantes Bandstand

                      


 

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br