By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 171

TODA CAIXA ACÚSTICA SOA BEM EM QUALQUER AMBIENTE?
2ª.Parte

Acústica

  Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

Introdução

              

               As várias caixas acústicas, do mercado mundial, possuem equilíbrios tonais diversos, e isto ocorre mesmo entre aquelas provenientes de fabricantes que se utilizam de câmeras anecóicas. Assim, para escolhermos uma caixa apropriada para o nosso ambiente em questão, temos que nos informar corretamente sobre as características de cada caixa. Além disso, também é conveniente que nos inteiremos das avaliações acústicas, realizadas pelas revistas de áudio idôneas, que realmente poderão nos ajudar a fazer uma escolha mais acertada. Infelizmente, a maioria das análises das revistas de áudio não leva em conta os critérios mínimos necessários para que possamos fazer uma compra adequada para as condições da nossa sala. Isto porque os avaliadores normalmente testam as caixas em salas não definidas, muitas vezes inapropriadas para uma correta avaliação.
           A revista alemã AUDIO desenvolveu uma sistemática bem simplificada, que realmente traz uma opção muito inteligente para ajudar-nos a fazer a escolha correta. Os critérios necessários para a nossa tomada de decisão envolvem: o volume da nossa sala, a acústica da nossa sala e a posição das caixas acústicas em relação à parede que fica atrás das caixas. Neste Audiophile News, vamos explicar a questão do volume da nossa sala, como deverá ser considerado. Lembrem-se que a primeira parte desta nova série foi apresentada no Audiophile News 169.

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           http://www.byknirsch.com.br

 

O volume das Nossas Salas

              O volume da nossa sala tem uma influência determinante sobre o resultado sonoro que ouvimos. Representa em torno da metade do resultado sonoro que podemos obter através do conjunto do nosso sistema com a nossa sala. Sim, sem dúvida, o volume é fundamental! Experimente colocar o seu sistema em uma sala maior e veja como o som melhora de pronto! Quanto maior a sala, melhor será o resultado sonoro. A algum tempo atrás, escrevemos um artigo onde mostramos o que é uma sala pequena, uma sala média e uma sala grande. Veja isto em: Qual a Melhor Sala Para se Ouvir Música? 2º Parte. Quanto menor for o volume da sala, maior será o problema com as ondas estacionárias, que tornam o grave borrado, embolado, de uma nota só e pouco definido. Sabendo deste fato, fica-nos evidente, então, que uma caixa acústica que toca bem em uma sala de grande volume poderá não tocar bem em uma sala de volume pequeno, o que dependerá, em boa parte, da extensão dos graves e do equilíbrio tonal geral da caixa. Assim, um bom review, quando faz a avaliação de uma caixa, precisa indicar qual o volume de sala que será adequado para a instalação desta caixa. É isto que a AUDIO alemã oferece aos seus leitores. Só que, em vez de pegar o volume, que é um pouco mais complicado de ser calculado, a AUDIO adota simplesmente a área do chão da sala, em metros quadrados. Assim, a revista alemã classifica as salas em três faixas, a saber:

            K  (Klein, pequena), em torno de 15m², com volume de 40m³;
            M (Mittel, média), em torno de  24m², com volume de 65m³;
            G (Gross, grande), em torno de  45m², com volume de 120m³;
Akustik-Assistent

           Considerando que as salas têm uma altura média de 2,70m, colocamos ao lado o volume médio estimado pela revista AUDIO. Para as salas pequenas, que possuem em torno de 15m² de área, medida esta que corresponde às salas da grande parte dos nossos leitores, as caixas acústicas mais adequadas são as bookshelf. Estas caixas possuem, via de regra, menor extensão de graves e, assim, excitam menos as ondas estacionárias, otimizando a reprodução geral dos graves na sala. Abaixo, temos algumas caixas bookshelf, indicadas pela revista (AUDIO 09/13), nas principais classes. Como não houve indicação de bookshelf para a classe de referência, a tabela começa a partir da classe high end:


            

Classe High End

Bookshelf Classific. Assistente Acústico AK QS
B&W 805 Diamond 8°. KMTAF 60 91
Dali Epicon 2 9°. KMTAF 66 91
 

AK é o índice de compatibilidade entre caixas e amplificadores. Vocês encontrarão um descritivo a respeito disto no artigo: O Áudio e o Pinheiro - 3º Parte. QS é a pontuação dada para a qualidade sonora.

Classe Superior

Bookshelf Classific. Assistente Acústico AK QS
Genelec 8240 APM 2°. KMTAHDWF a 90
Adam Compact MK3 Active 9°. KMTADWF a 87
Thiel SCS 4 16°. KMGAHDWF 62 85
B&W CM5 19°. KMTADW 62 84
Elac BS 244 26°. KMTAWF 64 83

O a significa que a caixa é ativa. No próximo Audiophile News, trataremos da acústica da nossa sala, explicando as letras T, A e H.            
Um grande abraço a todos e boas audições, com a caixa correta na sala!

Cabos de Interconexão - TOP Wonder  RCA/Digital/XLR/Speaker Cables
                  

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br