By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 

 
Número 194

 Equipamentos e Cabos

AR um Ícone dos Anos 60 e 70

Flávio Adami
flavioadema@uol.com.br

     

                   Recordo-me que, no início dos anos sessenta, vivia rodeado de enormes caixas acústicas das marcas JBL, Altec, Wharfedale, Bozak, entre outras. Tudo isso me encantava, porque emitiam um som poderoso, vindo de enormes alto falantes e, principalmente, pelo fato de que as mansões, daquela época, comportavam esses elefantes acústicos, um tempo em que poucos moravam em apartamento.          

© 2006-2016 Jorge Bruno Fritz Knirsch  
Todos os direitos reservados
http://www.byknirsch.com.br
 

                  No final da década de cinqüenta, alguns gênios malucos e visionários, como Henry Kloss, Edgard Vilchur e Amar Bose, mudaram o rumo da história.


                       Tive contato, pela primeira vez, com as caixas AR 3 (Acoustic Research), em 1966, através de um amigo que as importou. Na verdade, o primeiro modelo foi a AR 1, que tinha apenas o woofer de graves, advindo de uma genial invenção chamada suspensão acústica. Não satisfeitos com essa genial criação, Edgard Vilchur e Henry Kloss colocaram dentro de suas caixas os drivers de médios e agudos, tipo domo, que eles também criaram, utilizando cúpulas fenólicas, popularmente chamadas na época de ovos fritos. Surgiram, assim, as AR 3, as tais que escutei na casa do meu amigo, som esse pelo qual me apaixonei no primeiro instante que escutei. A extensão e velocidade dos graves, dentro de um volume relativamente pequeno, o transiente e a naturalidade dos médios mudaram completamente meu conceito de escutar musica através de um sistema de áudio, tanto que os domos estão aí até hoje, nos mais diversos projetos. Para vocês terem uma idéia, os poderosos magnéticos de neodímio, utilizados nos woofers, com bobinas de 2", eram os mesmos utilizados nos médios, com cúpulas também de 2", centradas através de 4 pontos de silicones, que davam para aqueles médios uma velocidade de transientes que, talvez, eu não tenha escutado até hoje nada parecido.
                      Devido a alguns problemas técnicos e construtivos, por volta de 1968, surgiram as AR 3a, com o mesmo woofer, porém com médios tipo soft domo, de 1,5" e tweeters de domo de papel. Foi esse modelo que comprei na loja Sonoplan e que me serviu por muitos anos, me dando uma enorme satisfação de ouvir música. Essas caixas foram, sem dúvida, um grande sucesso no mercado de áudio, pois cerca de 70% dos audiófilos as adquiriram.
                      Naquela época, a Gradiente e Polivox fizeram duas tentativas frustradas de copiar as AR 3a . A Gradiente, através do modelo GR 30, e a Polivox com o modelo Stradivarius. Ambos os modelos, além de tocarem mal, davam defeitos que fizeram com que saíssem de linha em pouco tempo.
                      Realmente não é fácil copiar uma obra de arte. Obra essa que me traz muita saudade, época de um áudio gostoso e romântico.
                      Boas audições!!                                              

                 Até a próxima! Um abraço a todos!

                                                               Bandejas Antirressonantes Bandstand                                                             


 

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br