By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 475

 

Bons Tempos
2ª. Parte
 

 

Equipamentos e Cabos

Flavio Adami
flavioadema@uol.com.br

        

          Dando continuidade ao Audiophile News 471, quando escrevi a respeito das caixas acústicas mais famosas de todos os tempos, de acordo com a revista the absolute sound, vou citar mais algumas que tive a oportunidade de conhecer e escutar.
 

© 2010-2020 Jorge Bruno Fritz Knirsch
   Todos os direitos reservados
 https://www.byknirsch.com.b

                                
          Primeiro, gostaria de destacar a genialidade de Paul Wilbur Klipsch. Insatisfeito com o som dos primeiros sistemas de alto falantes, Wilbur foi um dos pioneiros em projetos de caixas de alta fidelidade com cornetas de alta eficiência e baixa distorção. E acreditem, em maio de 1942, Paul construiu as primeiras Klipschorn na sua própria garagem!
          Até hoje, a Klipsch produz caixas acústicas de alta qualidade com uma vasta linha de produtos. As Klipsch que escutei na casa de um amigo, no início da década de setenta, me impressionaram demais, pois tinham uma eficiência de 105 dB, uma corneta, por ele patenteada, para médios e agudos, e um woofer de 15". Essas caixas ainda continuam a ser fabricadas, numa nova versão, com alto falantes ainda mais eficientes em termos de fidelidade e eficiência.
          Quando as ouvi pela primeira vez, fiquei impressionado com a eficiência e a pancada dos graves e, como elas ficavam posicionadas num canto de parede, a eficiência se tornava ainda maior! Qualquer amplificador de mínima potência fazia com que soassem com muita energia e fidelidade.
          Outro painel que escutei, foram as KLH MODEL NINE. Gostei muito da naturalidade e fidelidade que apresentavam. Em teoria, a maioria dos benefícios, advindos do princípio eletrostático, está na faixa das médias e altas freqüências, onde a suavidade, faixa estendida e boa resposta transitória são difíceis de se obter em um alto falante dinâmico. Temos também o exemplo das Quad eletrostáticas, dentro do mesmo princípio. O projeto das KLH NINE foi um dos poucos que se esforçou para abranger toda a faixa de freqüências com elementos eletrostáticos. Eu me lembro que, quando bem posicionadas, davam um bom grave, apesar de ter se mostrado modesto em extensão. No entanto, estas caixas passavam uma sensação de reprodução bastante agradável, em toda a gama de freqüências, com excelente equilíbrio tonal.
          Outra caixa que tive o prazer de escutar, foram as Vandersteen model 2. O modelo 2 estreou em 1977 e foi rapidamente seguido pelos modelos 2A e 2B. O modelo 2 mantém o design com quatro drivers e quatro vias, e estes drivers, provenientes de diversos fabricantes, continuam sempre em constante evolução. Possuem um woofer de 10", um falante de 8" para os médios graves, um de 4,5" para a faixa média alta e um tweeter de 1". Os alto falantes de estrutura aberta possuem um fechamento em tecido, com excelente acabamento.
          A empresa Vandersteen afirma que todos os seus alto falantes são absolutamente precisos, quanto ao tempo e à fase, e usa circuitos de crossovers de primeira ordem (6 dB/oitava), ajustados individualmente, para corresponder ao posicionamento dos falantes, com medições em câmara anecóica para uma absoluta precisão de fase.
          O que mais me chamou a atenção, foi o palco sonoro, junto a uma transparência sonora e a uma dinâmica fantástica como poucas vezes ouvi.
          Para finalizar, chegou a vez das AR3a, que tanto me encantaram nos anos 70 e 80. Estas caixas foram baseadas no projeto de Edgar Villchur, criador do sistema de suspensão acústica, das AR1, com seu woofer de 12" em suspensão acústica, totalmente vedado, com grande extensão e linearidade, com um grave seco e extenso, dentro de um volume cúbico relativamente pequeno. Acho que nunca mais ouvi um grave como este em nenhuma outra caixa, apesar dos problemas de eficiência.
          As AR3a possuíam um médio de 1,5", tipo softdome, montado em suspensão acústica e um tweeter de 3/4", com dome de papel, centrado em 3 pontos de silicone. Apesar do tamanho modesto, estas caixas exigiam amplificadores com potência e alta corrente, pois tinham 86 dB de eficiência e 4 ohms de impedância, ou seja, não eram fáceis de tocar! Os domos, montados em magnéticos de alta eficiência, produziam transientes fantásticos, uma naturalidade incrível e graves que, para mim, com certeza, ficaram para a história do áudio!

          Aquele abraço!

          PS.1: Olá pessoal do Audiophile News! Nós, Flavio Adami e eu, Jorge Knirsch, gostaríamos de organizar, de tempos em tempos, audições em nossa sala de audição crítica. Vejam os artigos: A Sala de Audição Crítica e O Grave é Seco. Caso vocês estejam interessados, teremos grande prazer recebê-los para escutar música conosco! Cada grupo terá o número máximo de quatro ouvintes, e serão audições de confraternização, gratuitas, gostosas e descontraídas, onde poderemos ouvir boa música e trocar idéias sobre tudo que envolve o áudio High End. As inscrições serão feitas por ordem de manifestação, através do nosso grupo de WhatsApp. O encontro do primeiro grupo ocorreu no sábado, dia 02/11/19, e foi um tempo muito prazeroso e especial! Fixaremos uma próxima data assim que houver novas manifestações.

          PS.2: Pretendemos, no final de novembro/2019, ministrar mais um curso de Avaliação Musical. Será nos dias 29 e 30 de novembro, e 01 de dezembro. Terá início na sexta-feira, às 14 horas, se estendendo até em torno das 18hs. No sábado e domingo, começará às 9hs e irá até às 18hs. No domingo, às 11hs, haverá uma visita à Sala São Paulo, para ouvirmos música ao vivo e, em seguida, após o almoço, faremos um teste no LAA, para cada participante saber que tipo de ouvinte é: sintético ou analítico. O curso comporta apenas 4 participantes e ainda temos duas vagas.
 Vejam o Audiophile News 438 para maiores informações.

          PS.3:  Abrimos o grupo do Audiophile News no WhatsApp. Caso desejem participar, informem seu nome e número de celular, que teremos prazer em acrescentá-los.

 

          Aquele abraço!                                                                                


 

  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2010-2020 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br

 pelos se