By Knirsch - Produtos, Projetos e Consultorias
  Uma Entrevista com Jorge Knirsch

Veja o teste:
 do
 
powerline Audiófilo lf-115
 
http://youtu.be/QDZqmV4LgME

 
  Veja os comentários de Fernando Sampaio (RJ) a respeito de fiação sólida e aterramento do neutro.
Carta de Clientes

 
 
 
Veja os produtos à venda em:

Usados

 
 
     
 

 
     
 


Clique aqui para conhecer nosso informativo eletrônico e inscrever-se para recebê-lo em seu e-mail.

 
     
  Novos Cabos de Energia By Knirsch para instalações elétricas em áudio/vídeo
 Power Cable AC-25, 40
,60 e 100
 
     
  Antes de construir, otimizamos as medidas da sua sala de audição,
 Home Theater
, e afins.
 


Número 201

E o que devo usar nas Paredes Laterais?

Acústica

  Jorge Knirsch
jorgeknirsch@byknirsch.com.br

              Introdução         

       No Audiophile News 199, falamos a respeito do tratamento acústico, atrás das caixas acústicas frontais, para salas de audição. Mostramos que devemos usar sempre absorção no centro da parede, onde se encontram as primeiras reflexões de ambas as caixas. Agora vamos comentar e analisar qual o melhor tratamento acústico para as paredes laterais da sala.

 

© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
           Todos os direitos reservados
           http://www.byknirsch.com.br

 

 

Qual o Tratamento Mais Adequado a Ser Colocado nas Paredes Laterais?

 

 

       Já falamos que, em salas de audição, salas de home theater, salas de audição crítica e técnicas, devemos criar, ao redor do ouvinte, uma região livre de reflexões, ou seja, uma RFZ (reflexion free zone). Isto porque o acontecimento musical reproduzido se torna tanto mais fidedigno ao acontecimento musical ao vivo quanto mais ondas sonoras o ouvinte receber diretamente das caixas acústicas frontais, sem reflexões. No entanto, é importante frisar que, para outros ambientes, como estúdios e salas de concerto, a RFZ não é relevante. Nestes casos, o tratamento acústico precisa ser diferente, sendo que outras complexidades técnicas estão envolvidas.
       Para se criar uma RFZ, em uma sala de audição, é preciso absorver também as primeiras reflexões das paredes laterais, assim como as do chão. Aqui também, neste aspecto, ocorrem muitos enganos, tanto na internet como entre os audiófilos, inclusive entre muitos engenheiros acústicos. A utilização de difusão, ou de reflexão pura, reduz o palco sonoro e pode até desmanchá-lo pelo efeito
Haas. Já observei vários colegas usarem, no local das primeiras reflexões laterais, prateleiras de cd´s, imaginando que as camadas de cd´s atuem como um difusor. Porém, a funcionalidade destas prateleiras, como se fossem difusores, é muito pequena. Portanto, esta alternativa é, na prática, de pouca valia.
     

        Em cada parede lateral há dois pontos de primeira reflexão, um para cada caixa frontal, como mostra a figura acima. Para determiná-los, o uso de um pequeno espelho portátil nos será de grande auxílio. Com a ajuda de um colega, correndo o espelho ao longo de uma das paredes laterais, na altura do tweeter, em certo momento, você, sentado na cadeira do ouvinte, poderá ver, refletido no espelho, o tweeter de uma das caixas acústicas e, mais adiante, você enxergará, no espelho, o tweeter da outra caixa acústica. Estes são os dois pontos das primeiras reflexões nesta parede.  Em seguida, será necessário repetir o mesmo procedimento para a outra parede lateral. Em torno dos pontos encontrados, deverão ser aplicados absorvedores de banda larga. Para esta finalidade, novamente os nossos Absorvedores Acústicos Hybridline se prestam muito bem. A área que deverá ser coberta com os absorvedores depende do tempo de reverberação final que se deseja atingir para a sala.
       Existem situações particulares em que os pontos das primeiras reflexões se localizam em aberturas onde há uma porta ou uma janela, por exemplo. Estas aberturas funcionam como absorvedores ideais de banda larga pois todas as ondas sonoras vão para fora e, assim, não ocorre nenhuma reflexão. Nestas situações, devemos avaliar se a perda de isolação acústica é viável, ou seja, se o barulho externo não vai interferir na audição.
         Nos outros pontos das primeiras reflexões de uma sala, como no teto e atrás do ouvinte, caso não haja interesse de ouvir o acontecimento musical com alta resolução, poderão ser usados difusores de banda larga. Porém, desejando-se um tempo de reverberação mais baixo, também recomendamos o uso de absorvedores com dimensões adequadas ao projeto. No entanto, devemos evitar o uso de absorção em excesso e também não podemos deixar de tratar adequadamente os graves, para que a sala não se torne morta, em vez de seca.

         Alguns artigos correlatos ao tema:

A Acústica e o Áudio High-End

Dicas Gerais - Acústica - Parte 2

Qual a Melhor Sala Para se Ouvir Música? 1º Parte

Qual a Melhor Sala Para se Ouvir Música? 2º Parte

Qual a Melhor Sala Para se Ouvir Música? 3º Parte

Sala de Audição Crítica

Palestra na Faculdade Impacta de Tecnologia

 

      Boas audições a todos! E muito cuidado, para que ninguém entre por um galho do pinheiro!!...

 

powerline Audiófilo, Special e Protect
                  

 
  By Knirsch-Produtos Projetos e Instalações
© 2008-2018 Jorge Bruno Fritz Knirsch
Todos os direitos reservados
https://www.byknirsch.com.br